emonCMS – Instalando em um Raspberry Pi.

Ola pessoal. Recomendo que leiam este post, pois vamos dar sequência no projeto OpenEnergyMonitor, instalando o emonCMS.

Meio que traduzindo do site do projeto, emonCMS é um aplicativo Web de código aberto(open-souce) para processamento, armazenamento e visualização de informações sobre energia elétrica, temperatura e outros dados do ambiente.

Podemos utilizar a plataforma online disponibilizada em https://emoncms.org/. Caso seja seu primeiro acesso, basta clicar em “Register” e preencher o formulário. Pronto, sua conta esta criada e já pode “fuçar” na interface. Calma que infelizmente ela não é tão intuitiva, e é um pouco complicado utilizá-la. Nos próximos posts vamos mostrar como inserir informações no emonCMS e configurar a visualização.

Se você é como eu, e gosta de ter tudo sob seu controle, talvez prefira instalar o emonCMS localmente. Entre as opções possíveis de instalação temos um PC comun e o Raspberry Pi. Utilizar um PC não faz muito sentido, pois quando temos interesse em um projeto como o OpenEnergyMonitor certamente eficiência energética importa, e não faz sentido consumir de 50W a 100W em um PC comum contra 2W do Raspberry Pi.

Vamos parar de enrolação?

Instalando emonCMS em um Raspberry Pi

Claro que para isso precisamos de um Raspberry Pi. Caso você não tenha, pode comprar no Mercado Livre, ou mesmo no Ebay caso não tenha pressa. O modelo que estou utilizando é meio velhinho, mas atende bem a instalação do emonCMS, é o Raspberry Pi 1 Model B.

 

 

Raspberry Pi Model B - emonCMS

Raspberry Pi Model B

As principais características do Raspberry Pi Model B são:

  • 512 MB de memória SDRAM
  • Processador de 700 Mhz
  • 1 Porta Ethernet 10/100 Mbps
  • Duas portas USB 2.0
  • Saída de vídeo HDMI
  • Saída de vídeo Composite RCA
  • Saída de áudio

Outra necessidade é um cartão SD ou MicroSD, dependendo do seu Raspberry Pi. O tamanho mínimo recomendado é 8 GB, de preferência classe 10. No meu caso, como estou utilizando o Raspberry 1 Model B, a única opção é usar um cartão SD.

Outra necessidade é um notebook para gravarmos a imagem no cartão SD ou MicroSD, ou então um leitor de cartões para computador, caso o seu não tenha.

Baixando os arquivos necessários – emonCMS

Vamos utilizar a versão disponibilizada no dia 07 de novembro de 2016, o link oficial encontra-se abaixo. Baixe o .zip e descompacte-o quando terminar o download.

http://files.openenergymonitor.org/emonSD-07Nov16.zip

Para que não surja dificuldades relativas a diferenças entre versões, recomendo que utilizem esta versão. Caso tenham familiaridade com o Raspberry Pi e tenha alguma versão mais nova disponível, fiquem a vontade.

Para gravar a imagem no cartão SD(ou microSD), vamos utliizar o software Win32DiskImager, disponível em https://sourceforge.net/projects/win32diskimager/. Esse sofware roda em ambiente Windows, e creio que todos utilizem ou tenham acesso a alguma máquina Windows. Caso queiram, posso mostrar também como instalar em ambiente MacOS ou Linux. Apos o download, extraiam o arquivo ZIP em um local de sua preferência.

Gravando a imagem – emonCMS

Após baixar e descompactar os arquivos necessários, o processo de gravação é simples:

  1. Insira o cartão SD no leitor, e observe qual a letra do drive foi associada a ele.
  2. Dentro da pasta descompactada anteriormente, execute o arquivo Win32DiskImager como administrador (botão direito em cima do arquivo, escolha a opção “Executar como Administrador”).
  3. Estando na janela do aplicativo, selecione o arquivo emonSD-07Nov16.img descompactado anteriormente, e selecione a letra do drive correspondente ao seu cartão SD(ou microSD)
  4. Clique em “Write” e aguarde o processo finalizar.

ATENÇÂO – Se você escolher a letra do drive errada, você poderá apagar partições em uso, com consequente perda de dados(fotos, vídeos, etc). Portanto, preste muita atenção em qual letra foi associada ao cartão SD.

Pronto, a imagem já esta gravada. Ejete o cartão SD e vamos inicializar nosso emonCMS no Raspberry Pi.

Conectando o Raspberry Pi.

conexões RPI 1 model B

Raspberry Pi 1 model B – conexões da placa

Creio que a imagem acima deixa claro como conectar o Raspberry, mas de qualquer forma, aqui vai algumas dicas.

Vídeo – Essa conexão é necessária apenas no setup inicial do emonCMS. Após a configuração inicial não precisaremos mais dela, a não ser que haja algum problema e seja necessário o acesso pela console. Observem que as saídas disponíveis (HDMI e Composite RCA) fazem com que a conexão ideal do Raspberry seja a TVs ou monitores modernos com entrada HDMI ou DVI. Caso pretenda utilizar um monitor com apenas entrada VGA, pode adquirir adaptadores HDMI-VGA. Os monitores que possuem entrada DVI normalmente vem com um cabo DVI, neste caso temos que utilizar um adaptador DVI-HDMI.

Teclado – Também necessário apenas no setup inicial (e caso haja problemas futuros), utilizamos um teclado USB conectado a uma das duas portas disponíveis. Caso tenha apenas teclado com saida PS2(aquelas antigas), pode também utilizar um adaptador USB-PS2.

Rede – Esta é uma conexão necessária permanente (vamos acessar sempre o emonCMS 😉 ). Vamos utilizar a porta Ethernet, e conectá-lo a nossa rede. Normalmente nosso provedor de Internet entrega um equipamento com 4 portas Ethernet para conexão. Existe a possibilidade de utilizarmos W-Fi, tanto via dongles conectados à outra porta USB, ou nativamente, nos modelos mais novos do Raspberry. Não vou tratar de Wi-Fi neste post, vamos de conexão cabeada mesmo.

Alimentação – A porta micro-USB está ai justamente para isso, podemos usar qualquer fonte de 5v com saída micro-USB, como um carregador de celular. Não conecte ainda.

Cartão SD – Por último, o cartão SD. Basta conectá-lo, claro que do lado certo 😀

Configurando o emonCMS

Bem, tudo conectado(menos a fonte de alimentação). Agora sim, conecte a fonte de alimentação no Raspberry Pi, e vá acompanhado na tela o processo de boot. O sistema instalado no cartão SD vem preparado para uma rede onde haja um servidor DHCP. Se você esta na sua residência é bem provável que o equipamento da operadora possua essa função e o emonCMS irá adquirir as configurações de rede automaticamente(Endereço, mascara, gateway e servidor DNS).

Após o processo de boot, a tela estará com o cursor piscando em um prompt escrito “emonpi login:”. Provavelmente na parte superior você poderá verificar qual o IP que o emonCMS esta utilizando. Procure pela linha “My IP address is xxx.xxx.xxx.xxx”. De posse desta informação(endereço IP), você pode acessar o emonCMS tanto pela console, ou através de uma conexão SSH. Eu prefiro a conexão via SSH, DEPOIS que fizer o setup inicial pela console. Tanto por SSH quanto pela serial, o usuário padrão do emonCMS é pi e a senha padrão é emonpi2016

De configuração mesmo, temos que ajustar o tamanho da instalação ao tamanho do cartão que estamos utilizando. A imagem que estamos utilizando foi preparada para um cartão de tamanho mínimo de 4 GB, se você seguiu a recomendação e esta utilizando um cartão de pelo menos 8 gigas, precisamos expandir o sistema operacional. Dê o comando “df -h” e observe que os diretórios utilizam no máximo 4 gigas, e então de o comando “sudo emonSDexpand”.

Atenção – Ao executar o comando, o Raspberry será reiniciado para efetivamente expandir as partições. Esse processo demora um pouco, dependendo do tamanho do cartão  que estiver utilizando. Quando o processo de expansão terminar, o Raspberry Pi será desligado. Ligue-o novamente desconectando o conector micro-USB e conectando-o novamente.

Após a execução do comando emonSDexpand, verifique novamente com df -h, e poderá confirmar que os diretórios foram ajustados ao tamanho real do seu cartão SD(ou microSD).

De necessário é isso. Caso queira fazer alguma outra alteração, como por exemplo configurar manualmente o endereçamento de rede, é necessário tornar o sistema de arquivo como leitura e gravação, pois por padrão ele vem como leitura-somente. Para isso basta digitarmos o comando rpi-rw e realizarmos as modificações desejadas. Lembrando que algumas alterações devem ser feitas como usuário root, e para executarmos comandos como root podemos utilizar o comando “sudo comando”, ou então nos tornarmos root com “sudo su”. De qualquer forma, cuidado com comandos executados como root.

Primeiro acesso ao emonCMS

Finalmente vamos acessar a interface gráfica do emonCMS. Rapaz, que post grande para uma coisa razoavelmente simples.

No seu PC, notebook, ou mesmo celular, acesse o endereço IP do emonCMS utilizando o browser de sua preferância. Ah, claro que é importante que você esteja na mesma rede, já que IPs privados não são normalmente  roteados entre redes distintas. Se tudo ocorreu bem, deverá obter a seguinte tela:

emonCMS

Página inicial – emonCMS

Basta clicar em “Register” e inserir as informações solicitadas e pronto, ai esta a instalação funcional do emonCMS.

Como eu disse anteriormente, os menus não são tão intuitivos, e então vai ficar para um próximo post a configuração do emonCMS, criando alguns inputs e feeds, e por fim criando um dashboard bonitinho. Ah, abaixo meu “setup”.

raspberry pi - emonCMS

Conexões Raspberry Pi 1 model B – emonCMS

emonCMS - RPI

Conexões Raspberry Pi 1 model B – emonCMS

Na segunda imagem, podem notar que minha cachorra adora cabos de celular 😀

Abs e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − doze =